quinta-feira, 9 de junho de 2011

a cruz de malta


a palavra vascaíno apresenta um hiato, tão ligado? vas-ca-í-no. quando se separam duas vogais em sílabas diferentes.

e ontem os vascaínos celebram o fim de um outro hiato. um hiato de oito anos sem comemorar nada. a coisa tava tão emocionante que nos minutos finais eu realmente desejei que não saísse o quarto gol do coritiba, porque eu me coloquei no lugar de qualquer vascaíno, e eu não suportaria tamanha dor. bem sério.

foi bonito o título. pela emoção que conteve. está linda a festa hoje, pelas ruas do rj. abomino quem desmerece conquistas e comemorações assim. todo título taí pra ser conquistado e comemorado. e parabenizado. simples assim. a rivalidade deve existir, as brincadeiras também, mas o reconhecimento, mais ainda.

fiquei feliz pelos amigos vascaínos que tenho. eu realmente não os queria amargando mais um vice, ainda mais da forma que seria.

não considero o time do vasco grande coisa. não mesmo. não considerei o jogo grande coisa. pra mim há uma confusão muito grande. empolgados pela emoção de um jogo, todo mundo passa a chamá-lo de jogão, fazendo referência a uma alta qualidade técnica. algo que não existiu nessa copa do brasil todinha. ontem foi um horror. balão pra tudo o que é lado. o coritiba parecia estar jogando aquele futebol americano, cujo objetivo é fazer a bola passar lá pelo alto. horroroso. assim como foi patética a cena de dois jogadores experientes como felipe e diego souza se escondendo de ver o restante da partida. que confiança no grupo, hein?! sinto muito, aquilo eu jamais aceito. muito falso drama. 

valeu muito, mas muito mesmo, pela emoção, pelo placar apertado até o fim. comemorem, vascaínos! é muito merecida a conquista e a festa de vocês! e me agrada ver fla (06), flu (07), vasco (11) ganhando a copa do brasil, além de fla (09) e flu (10) ganhando o brasileiro. agrada-me mesmo. é como eu digo, rivalidade pra ser boa precisa ter times competindo por títulos, não lutando pra evitar vexames.

ítalo.

8 comentários:

Carlos Ramos´Blogger disse...

Discordo em alguns pontos, mas assino embaixo no que você diz que rivalidade tem que existir, mas o reconhecimento mais ainda. tem Flamenguista, tricolor ou botafoguense que não reconhece mesmo. Já ouvi hoje coisas do tipo:"O Vasco perde até sendo campeão"... parabéns por reconhecer e pelo texto bem escrito.

Abração.

Aninha Kita disse...

Coloquei "na trave", pois até o antepenúltimo parágrafo concordei muito. Depois... Iii.

Nem tanto por ser vascaína, mas por ter achado um jogo emocionante, e isso no meu conceito já faz um grande jogo. Toma lá, dá cá. Ataques perigosos, mesmo que de longe (e por isso, altos). Até o excesso (lamentável) de faltas demonstra a tensão.
Também tenho opinião diferente quanto a atitude do Felipe e do Diego, achei humano. Meu grande ídolo, Humberto Gessinger, escreve no seu primeiro livro biográfico, que deixou de ver o fim de um jogo importante do seu time (Grêmio), na ingênua ideia de que daria mais tempo pro resultado mudar. Mudou. Também os jogadores ficaram na tensão, como o Felipe disse após o jogo, fora do jogo tornam-se apenas torcedores, torceram, ainda que com medo. Todos nós ficamos com medo, apesar de toda confiança que tentamos manter.

Enfim, opiniões...

Beijos, beijos!
Ana

Will disse...

Parabéns ao Vasco pelo titulo da Copa do Brasil... apesar de ser flamenguista, fiquei feliz com esta conquista, pois nenhum time com uma torcida tão grande deveria ficar sem titulos por muito tempo...

Espero que agora o Rio de Janeiro volte com força total para a disputa de titulos e não deixe que os times de São Paulo comecem a falar novamente dos nossos campeonatos regionais...

Abraço,

Cacá Motta disse...

Oi, você já segue o blog do Guilherme Sakuma - e ele também segue o seu. Agora ele está colaborando no meu (blog); é bem legal também, tem algumas histórias cabeludas e tal, rs.

Estou te seguindo, se puder, me segue por lá também!

Beijo *

Bruno disse...

Olá Ítalo, não achei um jogo horroroso. O 1° jogo lá em São Januário não foi nada bom, sem chances de gol, e sem emoção. Agora no Couto Pereira, a história foi outra, claro os dois times não são um primor de técnica, mas vontade eles tiveram, e muita! Parabéns ao Vasco pelo título.
Abraço
www.futebolsempreonline.blogspot.com

Chalera disse...

Apesar de andar meio despreocupado com o futebol ultimamente, como bom vascaíno que sempre fui fiquei muito feliz com o título, muito mais pelo Sr. Roberto Dinamite que tem feito um belo trabalho, apesar de não ser santo também....Sempre vou torcer pelo time dos que TENTAM fazer a coisa certa independente dos resultados....que devem ser encarados como consequencia...quando foi a ultima vez que o Vasco foi campeão??? semana passada respondo eu com grande orgulho...rs

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Não sei se foi o melhor, mas certamente foi o jogo mais dramático do ano. Excelente texto.

Saudações!!!

Cynthia Lopes disse...

a nação vascaína agradece, Ítalo! beijão