terça-feira, 13 de dezembro de 2011

o melhor time que eu não vi jogar

depois do santos de pelé foi o flamengo de zico.

eu entendo meu pai não torcer mais pelo fla. depois do que ele viveu - muitos jogos no maraca - durante a década de 80, não dá pra torcer pelo que se vê hoje em dia.

eu vivi o hexa em pleno maracanã naquele dia 6 de dezembro de 09. mas não chega nem perto da emoção de ver em vídeo o que o flamengo fez com o liverpool no dia 13 de dezembro de 1981. (o time hexa campeão era tão ruim quanto os atuais campeões nacionais. não existe mais time bom no país. eu insistir nisso até surgir um outro santos de neymar, ganso e cia).

hoje são 30 anos de um título que marca um dos maiores times de futebol do brasil (ao lado do bota de garrincha, do inter de falcão e do sampa de telê santana - o santos de pelé é como o pelé, não entra em listas). se você não concorda com isso, azar o seu. você não entende nada de futebol.

o barcelona de hoje é o flamengo de 1981. e se você também não acredita nisso, vá assistir aos jogos de antigamente. vá ler a respeito. e não menospreze times como estes. são para a história.


ítalo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

haicai-quase-futebolístico



"Elegia Urbana


Rádios, Tevês.
Gooooooooooooooooooooooooooooolo!!!
(o domingo é um cachorro escondido debaixo da cama.)"


mário quintana

domingo, 4 de dezembro de 2011

hoje eu torço


pro corinthians ser campeão e eu comemorar com meu irmão mais novo.

pro vasco ser campeão e comprovar que é o time do ano (não tecnicamente, mas energicamente). e pro rio de janeiro ser tricampeão.

pro flamengo ir pra libertadores.

pro flamengo não ir pra libertadores (porque não é merecedor).

enfim,
independentemente do que acontecer, eu sei que vou ser muito feliz durante essas duas horas de últimas rodada.

inclusive mandando um vai tomar no cu a todos os pseudo-torcedores que veem o futebol como um álibi para a violência. que morram todos!

ítalo.

domingo, 27 de novembro de 2011

gritei gol

quando o corinthians fez 1x0.

quando o vasco fez 1x0.

quando o fluminense empatou.

quando o vasco fez 2x1 eu gritei mais alto ainda.

e não gritei gol quando o ronaldinho gaúcho marcou. porque aquilo era jogo tosco-sem-importância.

porque pra mim todo mundo deveria ganhar hoje: corinthians, vasco e fluminense.

e eu não garanto nada até domingo que vem, nem durante o jogo do domingo que vem. sou capaz de comemorar qualquer resultado.

porque assim o futebol empolga. quando ignora o "já acabou".

ítalo.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

sou corinthiano


pelo meu irmão, luigi, de 8 anos, que escolheu torcer pelo timão desde que passou a curtir futebol. escolheu e não mudou. e por mais que rolem as brincadeiras de sempre em casa, uma vez que eu e meu outro irmão somos flamenguistas, eu torço pelo corinthians para vê-lo vibrando assim como tem estado. porque eu sei o que é vibrar por um time, por um título.

ele vibrou, neste domingo, graças ao mesmo jogador que me fez vibrar em 09. pouco me importa a vida do adriano. só me importa o fato de ele ser matador e saber fazer feliz o torcedor do time pelo qual ele joga.

o torcedor fanático do flamengo comemora o gol do adriano pelo fato de isso colocar o vasco como sério candidato ao vice-campeonato. pode até ser, mas eu não vejo e não sinto assim. porque não me incomodo em ver time carioca ganhando título. o futebol é grande demais para se apequenar assim. se eu for me sentir mal por cada vitória ou título de times rivais, eu não vivo. prefiro me sentir feliz pela felicidade de pessoas próximas a mim, por quem tenho muito gosto.

eu poderia torcer para que o vasco se sagrasse campeão, porque tenho amigos vascaínos que muito considero e pelos quais torço. mas prefiro ver meu irmão, em casa, comemorando um título que ele não pôde comemorar ano passado, por exemplo. e vou com ele, sim, pras ruas da cidade, caso se confirme tal conquista. 

o resto é resto.
no final da vida, a gente vai ver muito nosso time e tantos outros ganhando tantas coisas. isso não pode ser um incômodo, nunca.

ítalo.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

por duas vezes

o futebol me fez sentir gosto, muito gosto, neste brasileirão.


obrigado, santos 4x5 flamengo.


obrigado, fluminense 5x4 grêmio.

que venham outros!

ítalo.

domingo, 13 de novembro de 2011

1998


eu estava lá. na última vitória do flamengo no couto pereira. meu irmão estava lá. meu pai estava lá.


eu e meu irmão estávamos lá. no último coxa x fla pelo brasileirão. de 09. ano em que o coxa foi rebaixado, ano em que o fla foi campeão.

já falei pro meu pai, ou tu vais ao couto, ou já era ganhar lá.

ítalo.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

o time do ano


não é necessariamente o melhor time do país.
(até mesmo porque pra mim não há um melhor time)
nem aquele que ganhará tudo. (ou pode ser que sim).

mas o time que mais chama a atenção pelos resultados
obtidos. ainda mais pela sua recente história de muitos
naufrágios.

a cruz de malta se reergueu e está sendo bonito de ver.
e que fique lá por cima, lugar dos grandes - e suas histórias -
desse país.

ítalo.

domingo, 6 de novembro de 2011

twitt fora do twitter #10





nada como o futebol


pra te mostrar que num dia tu levas um sacode e no outro tu sacolejas.


né?




ítalo.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

coisa mais legal do mundo

é perder de goleada.

melhor ainda se for já no primeiro tempo.

o jogo vira outro.

torna-se pura diversão.

porque não há nada melhor do que rir da desgraça alheia.

afinal, a vergolha é dos jogadores,
não minha,
que devidamente dormi o sono dos justos.

ítalo.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

o futebol é bonito


Eu só não consigo mais assisti-lo. Muito menos acompanhá-lo à distância. Ele certamente está mais bonito na memória do que no presente que está sendo vivido. Pelo menos para mim. Isso que minha memória não é de bons tempos futebolísticos, não. É sinal de que ano a ano a coisa vem degringolando.
Da mesma forma que outras coisas na vida, tem sido um afastamento gradual, bem aos poucos. Um acúmulo de situações chatas aliado a um desgosto profundo, como se faltasse o Flamengo no mundo.       Ele não falta, como não faltam times tão ruins quanto. E unidos todos têm conseguido apavorar minha paciência e o meu bom gosto.
E para quem antes respirava futebol de todas as formas possíveis, hoje não sentir prazer nisso é uma mudança e tanto. Caso não passasse na televisão, ouvir no rádio era um caminho mais buscado do que acompanhar lance-a-lance na internet. Mas de alguma forma eu precisava saber em tempo real o que acontecia no campo. Os únicos momentos em que eu fugia disso eram os de muita emoção e nervosismo, quando o jogo era tenso ou importante demais. Às vezes eu fugia mesmo, pro coração aguentar.
Hoje, o que me leva a assistir a algum jogo são situações externas a ele: um bar com vários jogos e vários torcedores de vários times ou a companhia de um amigo para muito mais colocar a conversa em dia do que acompanhar os caminhos da bola durante a partida. Aquela necessidade de antes não se faz mais presente, e nem mesmo por ler a respeito dos times e dos campeonatos eu me interesso. Tudo se apresenta como um senso comum recheado de clichês. Quando e  onde você ouve que o líder do campeonato nacional não é o melhor time, e sim o menos ruim entre todos?
Diz o hino do Fla que “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo”. Continuo concordando, mas ao mesmo tempo em que me distancio dos jogos, quando acompanho algum sou muito flexível. Torço por quem joga bem – quando dou sorte de ao menos um time fazer isso. Não me incomodo com vitória de rivais ou com derrotas para times que a mereceram. O futebol me deixou de ser paixão há muito. Hoje me é razão, e por pensá-lo eu me afasto. Porque está tedioso. Ou ele, ou eu.
publicado aqui primeiramente.
ítalo.

domingo, 2 de outubro de 2011

a isso dá-se o nome de coerência,



são paulo.


jogar contra os quatro cariocas em casa, e perder as quatro partidas.


perfeito.


ítalo.

domingo, 18 de setembro de 2011

até que enfim


o campeonato brasileiro tem um líder que merece ser líder.

parabéns, vasco, pelo futebol que, se não encanta, convence e ganha.
parabéns por, mesmo campeão da copa do brasil, estar levando a sério o brasileirão.
e parabéns por mostrar que técnico não ganha jogo. e sim o time.

és o melhor entre os piores, com méritos e justiça.

e não estou sendo nenhum pouco irônico. é apenas o nosso futebol atual. 

ítalo.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

deus me abençoou


ao me fazer escolher pela faculdade de letras, e não de jornalismo.

porque eu acho que eu seria a criatura mais infeliz do mundo sendo um jornalista esportivo. 

se eu tivesse que cobrir a seleção brasileira, eu abriria mão da vida.

não dá mais. há muito tempo.

ítalo. 

p.s.: drama pouco é bobagem :)

terça-feira, 30 de agosto de 2011

um bar. vários jogos.

foi assim meu domingo. ao lado de um amigo vascaíno, acompanhávamos o clássico freneticamente. e ligados às televisões ao redor. aos gremistas e colorados e palmeirenses e corinthianos e santistas e são paulinos que gritavam de todas as direções. 

não há sensação e lugar melhores para se assistir a um jogo de futebol do que em um bar. talvez nem no estádio seja tão tão assim. em um bar em que você não escuta lhufas da televisão. ficam você e a imagem. e os muitos ao seu redor.

melhor ainda quando esses muitos são de vários times. 

tudo se torna alegria. se não for pelo seu time, será pela de outro. e a energia fica boa, faz bem, renova muita coisa em você mesmo.

até tenho acompanhado mais esse brasileirão. não assistindo a tantos jogos quanto antes. mas acompanhado. continuo achando o flamengo fraco. nove empates não me convencem de nada. acho que o corinthians tá louquinho pra perder a liderança. que o sampa não tem mais input pra arrancar. e que o vasco não tem elenco pra ir até o final assim. e que o campeão virá da turma que tá um pouquinho mais abaixo. 

mas o que eu acho não significa absolutamente nada. ainda bem.

ítalo.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

o importante. o impossível.


o importante é isso, né? o campeonato mais importante do país se afunilará a partir de agora. tá acabando o primeiro turno já. o discurso do "são muitos jogos pela frente" vai mudando para "faltam poucos. é matar um leão por jogo". 

e nessa hora o que acontecerá?

sim, claro! a maravilhosa confederação do esporte no país catará punhados de jogadores dos clubes diretamente envolvidos com título, libertadores, sulamericana e rebaixamento e os levará para amistosos importantíssimos pelo mundo, contra seleções fortíssimas: egito, costa rica e méxico.

eu tento levar o futebol a sério. mas isso beira o impossível. 

por essas e outras que torcer por algo como seleção brasileira não me pertence há uma década. 

ítalo.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

sinistro

o que aconteceu com o fred.

pouco se sabe, muito se ouve dizer. essa é a real.

mas assusta. a mim, assusta. mesmo não sendo o primeiro, nem o único, nem o último caso desses. 

e não assusta somente porque envolve uma pessoa famosa. nós sabemos o quanto isso acontece a tantos e tantos "zé-ninguéns" diariamente.

falando de futebol efetivamente...

assustado eu estou com a apatia do internacional.

e com a fibra correndo no vasco, mesmo depois do título da copa do brasil.

coisa boa de se ver, sim. 

quem acompanha este espaço sabe que sou adepto da rivalidade que se estabelece com os time brigando pela parte de cima da tabela. 

ninguém gosta de ganhar de um rival de quem todo mundo ganha.

torço para o fla chegar invicto à última rodada especialmente por isso. para que o jogo ganhe em tensão, em gana pela vitória. para os dois lados.

futebol precisa de tesão.

ítalo.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

contrariando-me,

lá vem o flamengo.

e aos poucos eu tento voltar a acompanhar futebol. não pelo flamengo. pelos jogos mesmo. muito aos poucos.

ainda passo semana cheia sem assistir a nada.

ítalo.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

o maior engano


do ano se chama flamengo. engano para si mesmo. para os próprios torcedores. engano presente em uma palavra: invencibilidade. perdura desde janeiro. perdeu um só jogo no ano. o suficiente para ser eliminado de um campeonato. é a mais falsa invencibilidade que eu já pude acompanhar em um time de futebol. uma invencibilidade que não assegura nada. e que não convence, visto que as vitórias se apresentam em número menor que o de empates. uma lástima.

ítalo.

p.s.: ausente do futebol tenho estado. aqui

segunda-feira, 18 de julho de 2011

uma aula

de bater pênaltis.



depois dizem que jogador não joga contra o próprio patrimônio (clube, dirigente, técnico, todos).

ítalo.

terça-feira, 12 de julho de 2011

twitt fora do twitter #9


são dois:

* o campeonato brasileiro tem, hoje, uma verdade (o líder) e uma mentira (o vice-líder). um joga e ganha. o outro se arrasta e também ganha.

* deos ilumine a mente dos narradores e comentaristas. é preciso muita imaginação para tão pouco futebol.

ítalo.

terça-feira, 5 de julho de 2011

tô tentando,

gente,

juro que tô tentando, mas tá f*** acompanhar o futeba por aí...

copa américa? que zona é essa?

campeonato brasileiro nas primeiras rodadas? com'assim?

assim como a vida, futebol são fases. e minha fase atual está bem longe dele. bem longe. ao ponto de não saber nem o que está acontecendo no clube mais midiatizado do país. 

volto pra cá quando sentir vontade. quando sentir alegria nisso. porque viver algo sem alegria não é viver.

ítalo.

domingo, 26 de junho de 2011

caímos


eu caí, tu caíste, ele caiu. nós caímos, vós caístes, eles caíram.

o river plate é mais um clube muito popular que apropriadamente poderá conjugar este verbo.

futebol é dor. tem jeito, não. é triste, mas é resultado. é simples, apesar de ninguém entender lhufas do mesmo.

e causa as reações mais puras em nós, humanos. o choro que vem espontâneo. a risada que vem para aliviar a alma. 

e choramos e rimos muito porque torcemos não para um time, mas para vários, sempre. a favor e contra. porque secar é torcer também.

ítalo.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

tri


eu já gostei mais do santos. desse time que nos últimos dois anos encanta muito. minha preferência era pelo time que fazia 4 e tomava 3, e não por esse que faz um e não toma. esse time muricyzado eu não curto. mas eu torci para que o santos vencesse essa libertadores. porque era talvez o único time organizado para ganhar esse campeonato. porque você dizer que peñarol ou velez são bons times é escorregar na banana. bom time por aqui não tem. simples assim. o santos é um time de bom pra razoável. o santos na verdade não é um time. o santos é neymar, ganso e mais um ou outro. porque o santos sem neymar, ganso e um ou outro não é o santos. é mais um nada nesse monte de nadas que temos acompanhado. 

merece todos os parabéns possíveis esse time. que entra para a história, claro. e que não sabemos até quando durará. porque, infelizmente, nossa cultura é a da exportação. ficar aqui não é lucro nem para os clubes, nem para os jogadores, que para cá voltam somente quando acaba o mercado para eles lá fora.

vamos curtir esse santos enquanto ele está aqui. porque daqui a pouco curtiremos mais um time muricyzado ao extremo (elano já foi vitimado pelo treinador. cadê o futebol do elano desde a chegada do homi?). sim, eu sou muito implicante com o muricy. ele é muito competente. não discordo disso. eu apenas não gosto dos times dele. só isso. é a escolha dele, jogar pra ganhar independentemente do como ou de quantos. aliás, ele não joga. ele escala onze para meter um gol e segurar o resultado. e quem sabe achar outro gol. e assim ele é o maior campeão dos últimos anos. simplesmente porque o futebol não tem lógica nenhuma.

ítalo.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

twitt fora do twitter #8


muito coerente o primeiro 0x0 do campeonato ser creditado às aberrações chamadas flamengo e botafogo.

ítalo.

sábado, 18 de junho de 2011

futebol e literatura


diz o enzo, amigo meu, que é completamente alheio ao futebol:

"agora que o santos contratou o borges, parece-me que o palmeiras está interessado no cortázar".

faz algum sentido. principalmente se envolvesse corinthians e são paulo, né?, os dois briguentinhos.

ítalo.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

a cruz de malta


a palavra vascaíno apresenta um hiato, tão ligado? vas-ca-í-no. quando se separam duas vogais em sílabas diferentes.

e ontem os vascaínos celebram o fim de um outro hiato. um hiato de oito anos sem comemorar nada. a coisa tava tão emocionante que nos minutos finais eu realmente desejei que não saísse o quarto gol do coritiba, porque eu me coloquei no lugar de qualquer vascaíno, e eu não suportaria tamanha dor. bem sério.

foi bonito o título. pela emoção que conteve. está linda a festa hoje, pelas ruas do rj. abomino quem desmerece conquistas e comemorações assim. todo título taí pra ser conquistado e comemorado. e parabenizado. simples assim. a rivalidade deve existir, as brincadeiras também, mas o reconhecimento, mais ainda.

fiquei feliz pelos amigos vascaínos que tenho. eu realmente não os queria amargando mais um vice, ainda mais da forma que seria.

não considero o time do vasco grande coisa. não mesmo. não considerei o jogo grande coisa. pra mim há uma confusão muito grande. empolgados pela emoção de um jogo, todo mundo passa a chamá-lo de jogão, fazendo referência a uma alta qualidade técnica. algo que não existiu nessa copa do brasil todinha. ontem foi um horror. balão pra tudo o que é lado. o coritiba parecia estar jogando aquele futebol americano, cujo objetivo é fazer a bola passar lá pelo alto. horroroso. assim como foi patética a cena de dois jogadores experientes como felipe e diego souza se escondendo de ver o restante da partida. que confiança no grupo, hein?! sinto muito, aquilo eu jamais aceito. muito falso drama. 

valeu muito, mas muito mesmo, pela emoção, pelo placar apertado até o fim. comemorem, vascaínos! é muito merecida a conquista e a festa de vocês! e me agrada ver fla (06), flu (07), vasco (11) ganhando a copa do brasil, além de fla (09) e flu (10) ganhando o brasileiro. agrada-me mesmo. é como eu digo, rivalidade pra ser boa precisa ter times competindo por títulos, não lutando pra evitar vexames.

ítalo.

terça-feira, 7 de junho de 2011

me fez torcer


ronaldo foi o último jogador que me fez torcer pela seleção brasileira de futebol. foi em 2002. foi quando eu chorei ao vê-lo marcar os dois gols da final. porque ninguém mais naquele momento merecia mais do que ele aquela glória que ele levasse o brasil a alcançar. foi meu último suspiro como torcedor nacional. depois dali, acompanho a seleção da mesma forma que acompanho jogos de basquete. sem tesão algum. a mim nada mais significa. 

pouco me importa quem é o ronaldo hoje, ex-jogador. se é empresário, dono disso, agente daquilo. se é envolvido com travestis ou pai de dezoito filhos. se é flamenguista ou corinthiano. se é comprado pela globo ou amiguinho do ricardo teixeira. tô nem aí. 

o único ronaldo que me importou foi aquele que deu muitas voltas por cima numa carreira que tinha tudo para não passar do ano 2000. foi o cara que mesmo baleado e sem conseguir domar o próprio corpo ganhou tudo o que podia como jogador. o maior artilheiro de todas as copas do mundo. três vezes melhor do mundo, junto com zidane, outro gênio da bola. foi o cara que voltou ao brasil e ganhou com um pé nas costas um título nacional e um estadual por um time de massa. 

ronaldo foi o cara que, depois de tudo o que fez com a amarelinha, pediu desculpas no último jogo pelos gols que perdeu.

ronaldo, o jogador, pra mim merece todos os elogios e as babações possíveis. dos que eu vi, ninguém foi maior do que ele. por tudo o que viveu, dentro de campo, ronaldo foi inigualável.

ítalo.

domingo, 5 de junho de 2011

é o pet, é o pet, é o pet, é o pet, é o pet


bicampeão carioca, 2000, 2001.
campeão da copa dos campeões 2001
campeão brasileiro 2009

decisivo em todos eles (bem menos em 2000, primeiro ano no fla).

com gols e jogadas que pra sempre estarão eternizadas na memória de quem é flamenguista - e de quem não é também, afinal...

não me incomodo nenhum pouco com a despedida em jogo oficial. é ser muito mimimi dizer que numa possível derrota estes três pontos determinarão o campeonato. não. o flamengo perderá e empatará outras vezes no campeonato. e time-por-time não é nenhum absurdo o corinthians ganhar, tendo o fla o pet ou não. e caso o fla perca, não será simplesmente porque o pet esteve em campo. pensar assim é buscar desculpas escorregadias.

há momentos, no futebol, em que o torcedor precisa deixar de ser chato (é quase impossível, eu sei). o que vale hoje não são três pontos. é a despedida de um jogador que deu títulos ao flamengo, e não apenas pontinhos em campeonatos. é a despedida daquele que fez um dos gols mais antológicos do maior estádio do mundo. é a despedida daquele que contribuiu, e muito, para um título que não vinha há dezessete anos. 

hoje é o dia do pet. pena que não será no maraca. e pouco me importa o seu desempenho e o resultado final. hoje o flamengo mostra o que é valorizar um jogador e toda a história que ele construiu no clube.

"pai, fodam-se os três pontos".

ítalo.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

a turma da fuzarca


tá com tudo! pura empolgação pra final da copa do brasil, da qual eles já foram devidamente vice-campeões. e agora, como todo bom torcedor, acreditam nesta conquista inédita para o clube, algo que, se vier, fechará uma lacuna de oito anos sem títulos no cenário da série a do futebol brasileiro. é tempo demais para um clube com a história do vasco. 

do lado de cá, devidamente rubro-negro mas, acima de tudo, apreciador do futebol, não torço a favor deles, mas não faço questão nem esforço em torcer contra. isto porque quando um clube se torna campeão não há nada que possa colocar isso em descrédito. portanto, sendo vasco ou sendo coxa, a copa do brasil estará nas mãos certas. e caberá a nós, os-que-sobraram, os devidos aplausos. e, a quem perder, bola pra frente, é virando a curva que a gozação aparece, rs.
_ _ _ _ _ 

O amor por um clube é algo impossível de explicar porque torcedor que é torcedor não deixa de torcer em toda e qualquer circunstância. Seja na alegria ou na tristeza, no rebaixamento ou na subida, ele sempre está lá, entoando cantos festivos, balançando bandeiras ou coberto com o pavilhão do clube roendo as unhas. O torcedor do Vasco é, nos últimos anos, a representação perfeita daquilo que podemos chamar de torcedor convicto, apaixonado. Só o amor consegue explicar o ato de torcer por um clube que amarga oitos anos sem levantar uma taça importante. O torcedor vascaíno é isso: um apaixonado convicto. Um torcedor que não deixa de apoiar mesmo diante de sucessivos fracassos e zoações dos rivais, que andaram levantando as suas taças nos últimos anos.  A chegada a essa final da Copa do Brasil é um prêmio aos vascaínos que não deixaram de ostentar a cruz de malta no peito mesmo com os obstáculos, mesmo com esses oito anos de jejum de títulos, mas, no final das contas, e daí, "sou Vasco da Gama, meu bem, campeão de terra e mar", já dizia a letra do samba-enredo. É isso mesmo, não importa o que dizem ou o que pensam os "secadores de plantão", o Vasco da Gama sempre será um clube grande, tão grande quanto a expectativa do torcedor vascaíno de soltar aquele grito sonoro e franco de "é campeão" preso na garganta. Os vascaínos merecem. Avante, Vasco, traz esse título para a Colina e faz a tua imensa torcida, de norte a sul do Brasil, bem feliz.

Luiz Guilherme, jornalista e vascaíno desde que me entendo por gente.


Lá vamos nós de novo eternos "VICES" como gostam de nos denominar nossos "amigos" e  rivais flamenguistas, antes vice...que não estar lá penso eu......coisas da rivalidade...o trem bala da colina vem crescendo no comando do Ricardo Gomes, a prova disso são os utlimos jogos seja com time titular ou reserva....porém não podemos nos iludir...nosso time é limitado e dependente de Felipe e Diego Souza....se eles jogarem o que sabem...somos favoritos sim....tremer para o Coritiba...com o todo o respeito a campanha 2.011....não dá....a decisão é hoje...que tenhamos um belo jogo e um resultado melhor ainda....se possível jogando como foi contra o Avaí....se não for pedir demais...aos amigos rubro negros resta assistir o eterno VICE....ou não....

abraço

Nao há como descrever o amor de um vascaíno. Só quem torce pelo Vasco sabe como é. Inexplicável. Ainda mais quando o clube chega à uma final de Copa do Brasil podendo conquistar um título inédito depois de oito anos sem títulos à nível de Série A. Este título é muito importante para o Vasco e, principalmente, para a torcida.


_ _ _ _ _ 
ps.: tô "catando" torcedores do coxa que queiram rabiscar algo aqui, sobre o clube e a final. não conheço ninguém. quem conhecer e quiser indicar, agradeço. quarta-feira que vem pretendo postar palavras verdes aqui.

ítalo.

domingo, 29 de maio de 2011

um dos maiores da história


este é o time do barcelona. dos que eu vi em campo, é o melhor. mas eu tenho apenas quinze anos de futebol (vinte e quatro de vida). e nesse tempo eu nunca - nunca mesmo - vi um time jogar como joga este barcelona. é simplesmente encantador vê-lo trocando passes como quem está treinando o chamado "dois toques".

antes os porres de plantão diziam que o time jogava fácil só no campeonato espanhol. o mesmo valendo para o messi. mas depois do que estamos vendo há três anos, não mais se pode dizer isso. arsenal, real madrid e manchester u. não viram a cor da bola nos jogos contra o clube catalão. há três anos que em todas as partidas o barça termina com mais de sessenta por cento de posse de bola. ou seja, ele joga e não deixa o outro time jogar, há muito tempo. não se pode mais dizer que é uma fase apenas. 

a história nos mostra que outros clubes já fizeram isso. aqui no brasil, tivemos o santos da era pelé, o bota de garrincha, o inter de falcão, o fla de zico, o sampa de telê. tivemos outros monstros da bola, como roberto dinamite no vasco, um gênio da grande área (considerado por muitos o maior depois de pelé), romário, além dos que foram brilhar lá fora, como ronaldo fenômeno, o maior artilheiro das copas até agora.

enfim, provavelmente estou me esquecendo de outros times e jogadores que estão na história do futebol. mas o fato presente é que temos mais um clube e pelo menos mais um jogador nessa lista: barcelona e messi (sem contar o cerebral xavi, um dos maiores meio campistas que já vi jogar). hoje, ninguém joga mais bola do que eles. ninguém. e eu torci muito pelo barça ontem, porque é um time que simplesmente joga, os resultados acontecem, mas o futebol sempre apronta das suas, e muito já vimos de times brilhantes que não foram campeões (seleção de 82, pra ficar no básico). por isso muito torci para que o melhor futebol do mundo na atualidade registra-se mais uma conquista implacável.

ítalo.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

dez anos



eu vi meu time ser hexacampeão brasileiro - um título esperado por longos dezessete anos. assisti ao vivo ao jogo final, em pleno maraca, socado entre milhares de outros rubro-negros. eu vi a bola do pet viajar do corner para a cabeça do angelim. eu naquele momento não sabia mais quem eu era, nem o que eu fazia naquele lugar.

mas nada - nada - será maior para mim do que o dia em que eu me ajoelhei à frente de um televisão pequena na sala da minha casa, com meros catorze anos, para assistir a uma cobrança de falta. nada apagará da minha memória a exata trajetória da bola. e no momento exato em que ela passou pelas mãos do goleiro e tocou a rede na sua parte mais alta, eu também não sabia mais quem eu era, nem o que eu fazia ajoelhado naquele chão gelado, aos prantos. 

hoje, vinte e sete de maio, eu lembro exatamente daquele dia de dois mil e um. lembro da falta de apetite, de não conseguir ficar quieto num canto. lembro da roupa que eu vesti. e lembro do maior momento que eu já vivi como torcedor. e que nunca mais se repetirá. porque aquela fase já passou. teve sua importância para minha vida toda. porque hoje eu continuo muito torcedor, mas dez anos faz muita diferença no comportamento de uma pessoa. 

ítalo.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

valendo

e o coritiba, que em 2009 jogou algumas partidas com o time reserva para focar na copa do brasil - então na semifinal contra o inter -, agora resolve não poupar ninguém, porque naquele ano os pontos perdidos nas partidas iniciais fizeram falta na luta contra o rebaixamento.

grande coisa, né, ô coritiba?

esse é o futebol. você pode apostar sempre. mas dificilmente acertará um quarto das suas apostas. talvez por isso a ideia de um bolão muito me agrade, e vezemquando eu a faça por aqui, ou com amigos "offline". mas eu acho que deveria ganhar o bolão, indiretamente, aquele que mais errasse também, rs. em dias aleatórios vou lançar bolão aqui, valendo postagem. acho válido.

acho legal também a brincadeira de escalar o time, o tal do cartola fc. mas não participo, pois exige empenho demais no escalar, pensar cada jogador, saber do quanto você tem e do quanto pode gastar. e futebol pra mim tá cada vez mais pra descanso, e menos pra encher a cabeça.

por enquanto, temos o blábláblá de sempre. time tal precisa melhorar. time tal é candidato ao título. muita chatice pro meu gosto. alguns times de fato apresentaram bom futebol na primeira rodada. tomara que não seja fogo de palha. precisamos de um campeonato em que bons times disparem e expliquem o tal favoritismo realmente. mas a metade do ano vem aí e, por incrível que pareça, o campeonato se torna outro. para a banda de cima, para a banda de baixo. é aguardar os caminhos das negociatas para depois sentir os caminhos da bola rolando.

ítalo.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

"os caras" II


em fevereiro do ano passado eu escrevia sobre a volta de alguns grandes ídolos ao futebol brasileiro (aqui).

este começo de ano nos apresentou novas voltas:

ronaldinho gaúcho, sambódromo e flamengo
elano, santos
luis fabiano, são paulo
adriano, favela da chatuba e corinthians
thiago neves, flamengo
liédson, corinthians
guilherme, atlético-mg
brandão, cruzeiro

(apesar de algumas "baixas" como a aposentadoria do ronaldo, a saída do roberto carlos e do robinho).

a mim muito interessa ver os times aqui do país se reforçando com jogadores que podem decidir os jogos. porque o futebol apresentado por aqui anda fraquíssimo. os últimos campeonatos brasileiros - e seus respectivos campeões - provaram isso. o último time que ganhou com maestria o nacional foi o são paulo em 2007, com anos luz de pontos de vantagem e campanha impecável.

o cenário que se apresenta me parece bastante bom. além destas voltas temos jogadores novos roubando a cena, como neymar e ganso, do santos, e lucas, do são paulo. sem contar os estrangeiros que decidem muita coisa por aqui, conca, montillo e dalessandro. (estou esquecendo de alguém?)

não me interessa a rivalidade que se constrói com times fracos que nada ganham. interessa-me, sim, acompanhar jogos com times fortes, torcedor discutindo títulos, não tropeços ou crises-sem-fim. 


porém, tem-me parecido claro o quanto os medalhões estão voltando mais por falta de espaço lá fora do que por vontade de brilhar aqui dentro. no discurso é aquela beleza da paixão pelo brasil. mas na prática é possível observar o quanto esses jogadores não têm mais mercado na europa. ou seja, o nível deles é outro. mais pra baixo. mas o nosso futebol anda tão desnivelado, que aqui eles são capazes de resolver até com bolha no calcanhar.

ítalo.

sábado, 14 de maio de 2011

tira-teima da série b

é assim que podemos chamar as semifinais da copa do brasil.

ceará x coritiba
vasco x avaí

avaí = vice-campeão da série b 08
ceará = vice-campeão da sérib 09
vasco = campeão da série b 09
coritiba = campeão da série b 10

essa é a graça da copa do brasil. os chamados pequenos eliminam os grandes. foi o que fizeram ceará, coxa e avaí com fla, palmeiras e sampa. sobrou o vasco de time grande. mas que não ganha nada há quase uma década. ou seja, tá no mesmo barco. esse título vem pra dar um "up", a quem quer que seja. 

em quem eu aposto? em coxa e vasco. pra quem eu torço? por coxa e avaí. no final de tudo, torço pelo coxa. esse time, com essa marca histórica, acho que merece. o que não significa absolutamente nada.

ítalo.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

do direito de reclamar


muricy não tem o direito de reclamar do esdrúxulo calendário do futebol brasileiro.
o torcedor tem esse direito.

dirigente nenhum tem o direito de reclamar do esdrúxulo calendário do futebol brasileiro.
o torcedor tem esse direito.

porque o torcedor vê com os olhos da paixão, e talvez por isso mesmo veja melhor - por mais que algumas ações contradigam isto.

enquanto que os dirigentes veem com os olhos do... sei lá: do lucro, da safadeza, do jogo político.

enquanto que o treinador vê com os olhos de pau mandado que é pelo dirigente.

porque o muricy poderia, sim, não ter escalado o ganso na pífia decisão de domingo. poderia, sim, ter mandado o elenco pra colômbia com antecedência. e apertado a tecla foda-se para o estadual.

(abre parêntese: de que vale ganhar um estadual hoje em dia? diga-me, torcedor, de que vale? é uma coisa tão banal quanto ganhar uma vaga na sulamericana. e não se pode tirar do torcedor o direito de comemorar uma conquista assim. ele vai lá, ganha, ri da cara do rival, e pronto. no jogo seguinte ele já esqueceu, porque sempre haverá jogo mais importante do que final de estadual. fecha parêntese).

então, torcedor santista, esbraveje, sim. porque você não terá o ganso por seis semanas. porque ele foi escalado pelo dirigente e pelo técnico (e sabe-se lá se também não foi pelo seu representante) para uma final de estadual. e agora está fora de praticamente toda a libertadores, se o santos chegar à final.

e você, muricyzinho, adote a postura de homem que você prega nas suas entrevistas. assuma sua covardia em ceder a uma competição que vale tanto quanto meu jogo de futebol de botão.

ítalo.

domingo, 8 de maio de 2011

twitt fora do twitter #7


teve tanto gol hoje que, por um momento, eu pensei que tivesse ouvido mais um gol do coritiba contra o palmeiras.

ítalo.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

histórico

quem me acompanha neste blog sabe de minha torcida pelos times grandes e brasileiros. rola uma secação de vez em quando? rola. mas nunca deixo de reconhecer times que apresentam bom futebol. e muitas vezes torço por eles, sejam quais forem.

e assim eu estava nesta liberta. torcendo pelo cruzeiro, muito. por um grenal, muito. menos por santos e flu, que pra mim não mereceriam grande coisa, devido aos papelões protagonizados no começo da competição.

mas, acabada a noite de quarta-feira, fiz questão de zoar geral todos os eliminados pateticamente nas oitavas. porque tem que ser muito bom pra ser eliminado como foram inter, cruzeiro e fluminense. o grêmio já havia derrapado na ida. sem contar o corinthians contra o super tolima. isso que na terça-feira o santos quase entregou a rapadura lá no méxico.

agora restou o santos. um santos que não mais me encanta como antes. porque já é um santos muricyzado. um santos recuado, em que daqui a pouco o ganso é lateral esquerdo e o neymar lateral direito. porque é isso o que o muricy tem feito em alguns jogos. por increça que parível.

faltou tranquilidade aos clubes brasileiros para lidar com os gols sofridos. virou bagunça. e deu no que deu. e antes disso faltou atenção e humildade. mais um belo castigo aplicado pelo futebol.

ítalo.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

palpites furados

dessa forma, fica apenas uma imagem de comemoração a mais um título carioca, o oitavo nos últimos treze anos. é muita coisa. 


(campeonato estadual não merecia nem ser jogado (não do jeito que está sendo). quanto mais comemorado. muito menos comentado ou discutido. ele taí pra isso, pra um ou outro ganhar algo de pouca importância efetiva. vale o sarro. e só. tá na hora de mudar isso).

ítalo.

sábado, 30 de abril de 2011

palpites para a final da taça rio


lançando uma brincadeira aqui no blog.

"catei" palpites de vascaínos e de flamenguistas, e aqui os apresento.

quem acertar o resultado ganha direito a uma postagem aqui no ópio do povo. uma postagem livre para zoar com o rival. vale mandar algum vídeo, uma imagem, ou um texto tripudiando geral. tá tudo liberado! (como temos placares repetidos, se acontecer de dois acertarem, serão duas postagens contra o rival, uma de cada acertador).

agora é aguardar.

flamengo 3x2 vasco (o rabugento)


vasco 2x1 flamengo (charles - um gol de cabeça do dedé)

flamengo 2x0 vasco (curt - gols de thiago neves e deivid, não necessariamente nesta ordem)

vasco 3x0 flamengo (victor da rosa - gols de alecsandro, éder luís e bernardo)

flamengo 3x1 vasco (ítalo)

vasco 1x1 flamengo (ary machado - penais: 5x4 a favor do vasco)

flamengo 2x2 vasco (fox - penais: fla)

vasco 2x1 flamengo (luiz guilherme - gols de felipe e diego souza)

flamengo 2x0 vasco (franccesco)

vasco 3x1 flamengo (carlos ramos)

flamengo 2x1 vasco (júnior, meu pai)

p.s.: isso de acertar quem marcará cada gol não conta para a brincadeira. é apenas excesso de chutômetro dos participantes :)
_ _ _ _ _ 

seguem dois vídeos com uma goleada-título para cada lado, como forma de preparar os torcedores pra final de domingo.


último título do vasco contra o flamengo, final da taça guanabara de 2000, um sonoro 5x1, com 3 gols do baixinho romário, que recém havia voltado ao time da cruz de malta, saído brigado do fla.


primeiro jogo da final do carioca de 2000, um sonoro 3x0 flamengo (os três gols nos últimos 15 minutos), encaminhando o então bicampeonato.


ítalo.