domingo, 26 de dezembro de 2010

twitt fora do twitter #4



obviedade

clichê necessário: zico, com um braço enfaixado, seria o melhor jogador do campeonato brasileiro nos últimos anos. fácil.

p.s.: lembre-se do nível (sofrível) dos últimos campeonatos.

ítalo.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

faltaram critérios

e sobraram piadas.

(aqui você pode encontrar algumas).

sempre fui torcedor de que os títulos anteriores a 1971 fossem reconhecidos em suas devidas importâncias. 

mas a emenda saiu pior que o soneto.

faltam critérios para a unificação. tem time que agora contabiliza dois brasileiros num ano só. tem time que ganhou cinco brasileiros jogando ao total pouco mais de vinte partidas. têm times que ganharam o nacional jogando contra quatro times somente.

resumo da ópera:

a confederação demora pra tomar uma atitude, 
e quanto toma é essa porcariada que se criou.

distribuí títulos como quem distribuí panfletos.

e o pior é como diz o ditado:
pior não é quem faz isso. é quem acredita e passa a seguir a cagada feita.

p.s.: pra quem quiser entender a bagunça toda e emitir opinião:

aqui (site globo.com), 
aqui (josé ilan), 
aqui (rica perrone), 
aqui (paulo calçade), 
aqui (paulo vinícius coelho), 
aqui (mauro cezar pereira), 
aqui (emerson gonçalves)

ítalo.

eu me considero

campeão brasileiro de 1987.

porque no dia 13 de dezembro daquele ano meu pai me erguia ao alto para comemorar a então quarta conquista nacional do flamengo.

eu tinha seis meses.

hoje, com vinte e três anos, sou obrigado a ler que aquele título não é válido por conta da opinião emitida por uma federação de futebol. ou seja, por conta de uma decisão política.

e sabe qual é a minha reação?

nenhuma.

continuo olhando para a foto do meu pai me erguendo
e nós dois comemorando aquele título,

e sinto o quanto aquela cena é infinitamente maior do que qualquer decisão que já foi e que ainda será tomada a respeito daquele campeonato.

eu não dependo de reconhecimento de ninguém para saber o que posso considerar ou não.
muito menos das opiniões alheias.


ítalo.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

final de ano é assim...

... no futebol.


especulações e especulações.


e haja saco!


por isso, e para isso,
tó aqui uma dica:



livro do veríssimo,
sobre futebol.


(para comprar, aqui)


vai-nos ajudar a ocupar o tempo 
e a nos desligarmos dessa lorota
de blábláblá que preenche o espaço
futebolísticos em jornais, portais
e ais, ais, ais.


ítalo

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

a américa continua sendo vermelha. o mundo, não.


e para ser torcedor de futebol é preciso saber lidar muito bem com a vitória e com a derrota. ou seja, com o ato de zoar e o ato de ser zoado.

os gremistas "brigam" comigo porque gosto do internacional. 
os colorados "brigam" comigo porque gosto do grêmio.

e gosto mesmo. nutro pelos dois times grande simpatia. só.

vibrei muito com a conquista da américa pelo colorado. escrevi aqui sobre. e torcia pelo inter no mundial. até que vi o que acontecia lá naquele lado do mundo. a pateticidade do desempenho do time pelo qual eu realmente torcia neste campeonato. aí eu senti raiva. e pensei: bem feito! perderam feio, foi vexatório, e agora aguentem as consequências.

simples assim.

o que não faltou foram piadinhas sobre a derrota. algo absolutamente normal e esperado, pois se o contrário tivesse acontecido, seria o mesmo, piadinhas e mimimimi. e eu tuitei bem isso daqui, ó: "alô torcedor colorado, para de mimimi do tipo "nós chegamos lá". assim como quem ganha se diverte, quem perde sofre. é a lei do futebol :)"

eu realmente não gosto e não acho nenhum pouco coerente o discurso de quem perdeu: nós chegamos, vocês não. acho-o um despropósito. porque quando o seu time ganhou, você, torcedor, zoou geral. agora que perdeu, guarda tua conquista pra ti, e aceite a zoação dos demais.

eu fiquei bravo mesmo com a derrota do inter. porque eu realmente não esperava que tal comportamento patético do time pudesse acontecer.

mas o futebol nos surpreende quase que diariamente. deveríamos estar ligados a isso. aleás, deveriam os jogadores do inter estar ligados nisso.

o final de ano será azul, sim. queiram os colorados ou não. é a lei simples do futebol. ainda bem.

ítalo.

domingo, 12 de dezembro de 2010

devolutiva

só leva uma réplica,
quem inicia uma conversa.

daniel alves saiu com mais uma das frases-inúteis-que-todo-jogador-de-futebol-diz:

"mourinho não inventou o futebol".

(fiquei me perguntando qual é o motivo pra essa dor de cotovelo que a frase do alves prenuncia - a mim prenuncia exatamente isto, dor de cotovelo).

mourinho, elegantemente sarcástico, como o considero, teve direito à réplica. e foi, para mim, genial:

"todos temos a aprender com as pessoas inteligentes. o que daniel alves disse, einstein não diria melhor. foi um português quem descobriu o seu país, mas não inventou o futebol. tem toda a razão, não inventei o futebol".

é como diz o velho deitado, sabiamente anunciado pelo profeta romário:
"pelé calado é um poeta".

ítalo.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

eu torço contra

o goiás, hoje.

na cara dura. ou na face-rígida, como diz amiga minha.

torço contra o goiás e, consequentemente, a favor do grêmio (por tabela, a favor do flamengo também).

porque eu prefiro muito mais ver o grêmio na libertadores do que o goiás.
porque eu prefiro muito mais ver um time que somou mais de 60 pontos no brasileirão ganhar essa vaga na libertadores, do que um time que não somou 40.
porque eu prefiro muito mais ver um time bicampeão da américa, com tradição, com equipe forte, do que mais um time-de-mediano-pra-pequeno que em nada contribuirá na competição continental.

e, sim, porque eu torço pelos clubes brasileiros na libertadores. mas por aqueles que têm história, tradição e condição de me proporcionar alegria enquanto torcedor de futebol. 

sou muito preconceituoso nesse aspecto. mesmo. assumo e não me condeno por isso.

porque pra mim time mediano tem que ficar no seu devido lugar: estadual, copa do brasil e sulamericana.
principalmente quando este time mediano foi rebaixado para a segunda divisão do campeonato nacional.

e, ainda mais, porque eu nunca vou engolir mais essa mancha no futebol nacional e latino-americano: a sulamericana, um torneio fraquíssimo, raquítico, tirar a vaga do quarto colocado no chamado "campeonato mais difícil do mundo".

que o independiente faça valer toda sua tradição perante seu presente horrível. que ressurja das cinzas conquistando a sulameriquem?.

ítalo.

domingo, 5 de dezembro de 2010

aqui se faz,

aqui se paga. 

ou:
a bola pune II.

os torcedores do fluminense, que sempre questionaram o título brasileiro do flamengo de 1987, agora se veem na mesma situação, querendo reconhecimento pelo título nacional que conquistaram em 1970, quando o campeonato ainda não era chamado de campeonato brasileiro, ou seja, não era organizado (e consequentemente reconhecido) pela cbf.

minha opinião, há muito tempo, é uma só:

palmeiras (1967), santos (1968), palmeiras (1969) e fluminense (1970) são, sim, campeões brasileiros. 

(a taça brasil, disputada de 1959 a 1968 corresponde ao que hoje é nossa copa do brasil. não pode ser considerada o campeonato brasileiro da época, porque reunia somente os campeões estaduais do país). 

dessa forma, pra mim flamengo, são paulo e palmeiras são hexa campeões nacionais. o santos é tri. e o flu, se confirmar o título hoje, será também tri.

é claro que a cbf não reconhece isso. e eu duvido que algum dia reconhecerá. o que eu acho ainda melhor. porque considerar a opinião da cbf para alguma coisa é no mínimo ser tapado.

ítalo.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

pra chorar

bagunça,
teu lugar é aqui.

aqui no brasil.
país do futebol.
mas também
país da zona futebolística.

eu não sei se alguém consegue ler e assistir a uma matéria como essa e se sentir tranquilo. essa matéria que conta o que foi o dia de vendas de ingressos para o jogo do flu, o jogo que pode confirmar o título nacional para a equipe do rio.

isso me faz lembrar de mim mesmo, no dia 6 de dezembro do ano passado, quase duas horas na fila do lado de fora do maracanã para entrar para o jogo contra o grêmio. e eis que às 16h (o jogo começava às 17h) nos deparamos com o portão à nossa frente fechado. ninguém mais passaria por ali. e nós com os ingressos na mão. e olhávamos lá para dentro e víamos aquilo tudo tomado. e o desespero bateu forte. e saímos em disparada. correndo pelos arredores do estádio em busca de um portão aberto para que conseguíssemos entrar. e conseguimos. e parecia que não era real aquilo. aquele tanto de sofrimento por algo tão banal quanto passar um ingresso numa catraca. ao mesmo tempo que já tinha gente pulando as catracas e tudo o mais. e ao mesmo tempo em que muitas pessoas com ingresso na mão ficaram do lado de fora do jogo mais importante da história do clube nos últimos 17 anos. então que a primeira coisa que fizemos ao entrar no maraca foi chorar. porque não podia ser que tivéssemos vivido tudo aquilo. mas estávamos lá dentro. e pudemos acompanhar de perto aquela festa pela qual tanto sonhamos.

e hoje eu vejo esse desespero nos torcedores do flu, para comprar o ingresso para o decisivo jogo. e fico imaginando o que não sofrerão no dia do jogo para simplesmente assistirem à partida. e realmente me pergunto se isso está certo, e o que pode ser feito para que não seja mais assim. para que o torcedor seja realmente respeitado e para que uma simples operação de comprar ingresso e entrar no estádio seja realmente simples como deve ser. mas não é. e eu lamento dizer que eu não visualizo o dia em que isso será simples aqui para nós, meros cidadãos apaixonados por seus clubes.

para mim, não haverá copa do mundo capaz de dar jeito nisso.

p.s.: o torcedor tricolor, no calor da emoção, encerra a matéria dizendo que depois de tanto sofrimento é merecedor do título. isso fica bonito como discurso autoajuda. não mais que isso. é merecedor de ser campeão quem na última rodada alcançar mais pontos que os demais clubes. time nenhum ganha porque o torcedor sofreu para comprar ingresso ou para entrar no estádio. senão todos os clubes brasileiros deveriam ser campeões o ano todo.

ítalo.

pra rir


porque o futebol nos proporciona também isto,
risadas das boas.

p.s.: era uma ideia pras torcidas que vão ao estádio comemorar gols dos times adversários. corram pelas arquibancadas imitando o bandeirinha, o juiz, o quero-quero. o que for que seja. mas não comemorem gol do time adversário, não. isso é feio por demais.