domingo, 28 de novembro de 2010

a bola pune,

diz o ditado.

algo que podemos comprovar, mais uma vez, este ano, no brasileirão.

em 2009, os torcedores corinthianos tripudiaram do rival são paulo ao verem o time "entregar" o jogo para o flamengo encaminhar o título.

título este que veio a acontecer na rodada seguinte contra o grêmio, que "entregava" o jogo para o fla apenas para tripudiar do rival inter.

o mesmo inter que em 2008 "entregou" o jogo para o são paulo, objetivando apenas evitar que seu rival grêmio pudesse alcançar o título, que de fato ficou com o são paulo. 

ainda em 2009 os rivais do flamengo no rio de janeiro menosprezaram a conquista do rubro-negro carioca alegando que ela apenas ocorrera em função das "entregas" de corinthians e grêmios.

agoooora...

o mesmo corinthians que "entregou" ano passado para prejudicar o são paulo, viu-se refém de são paulo e de palmeiras, que "entregaram" seus jogos para o fluminense, apenas para que o clube do rio se mantivesse à frente do time de parque são jorge e chegasse, então, na última rodada, com a mão na taça.

o mesmo torcedor do fluminense que ano passado pisara na conquista do flamengo, vê-se agora possivelmente conquistando o título da mesma maneira. 

aí vem a pergunta: uma conquista de nacional como esta merece realmente ser menosprezada pelas supostas "entregas"?

escrevi esta palavra entre aspas desde o começo porque ela não pode ser afirmativa. não há quem possa afirmar que existiram entregas nesses jogos. assim como ninguém pode afirmar que elas não aconteceram.

o que estes casos colocam em questão, a meu ver, é a fórmula de disputa do campeonato mais importante do país. ao invés de cairmos na burrice dos torcedores-cegos, que só têm olhos para o próprio time e que desejam a morte do time rival, precisamos parar e pensar na tal justiça que um campeonato de pontos corridos realmente apresenta. porque é este o argumento mais forte daqueles que defendem tal fórmula de disputa. que o campeão assim se torna por absoluta justiça, não mais existindo a tal da injustiça dos pontos corridos, que eu até agora procuro onde ela existe.

e a partir desses fatos eu passo também a questionar a tal justiça dos pontos corridos. porque o argumento de que todos os times se enfrentam em igualdade de condição cai por terra. porque nas cinco rodadas finais já tem muito time que joga para nada, que não vai cair nem luta por vaga nenhuma, e que, portanto, se não entrega o jogo para prejudicar algum rival, simplesmente joga sem motivação alguma, o que se torna apenas um eufemismo de entregar o jogo. 

não defendo simplesmente a volta do campeonato de turno único e os mata-matas. acho que aos poucos o calendário nacional vai adquirindo uma cara muito própria, que ainda pode ser melhorada, com certeza. o que eu realmente questiono são as vagas que ficam no "umbral", naquela zona morta, em que os times simplesmente jogam para nada. algo nesse sentido precisa ser feito. o campeonato argentino trabalha com médias de pontos de campeonatos de vários anos. é uma ideia. os times passariam a se preocupar não somente com o ano presente, mas com o ano anterior e com o ano futuro. algo nesse sentindo precisa ser pensado. que rumo dar àquelas vagas intermediárias? sulamericana? não tem resolvido em nada.

e digo que algo precisa ser feito porque isto não faz parte do futebol. o erro do juiz e do bandeirinha, infelizmente, fazem parte. porque humanos que são, estão sujeitos ao erro (por mais que a turma do contra veja manipulação e erro proposital e etc etc etc. o que não falta é gente pra sujar algo que já não está limpo). o que não faz parte do futebol é esse blábláblá de entrega x não-entrega. ele pode até existir, simplesmente porque isto é oferecido aos times. esta condição de penumbra a eles é oferecida.

e uma última ressalva: jamais se pode colocar em dúvida o título que é conquistado por uma equipe num campeonato de pontos corridos. o flamengo não tem nada a ver com a o jogo sem sal de corinthians e de grêmio em 2009. assim como o fluminense, se de fato for campeão na semana que vem - como eu torço para que seja - não tem nada a ver com a apatia de são paulo e de palmeiras. pode-se reclamar de muita coisa, mas não se pode, em hipótese alguma, questionar a legitimidade daquele que se consagra campeão (em nenhuma fórmula de disputa).

ítalo.

6 comentários:

Moni. disse...

Nesses momentos finais, só algumas considerações:

Que seja do Flu mesmo. Nenhum apontamento técnico não. Simpatia, apenas. E antipatia por quem o ameaça... (sim, meu futebol é passional e pronto);

Todo o meu respeito e admiração ao futebol, à graça, e por que não dizer, à beleza de Loco Abreu. Fez muita diferença;

Jefferson também foi bom demais;

Resta-me sonhar com a Libertadores. E sonharei até o domingo que vem!

Moni. disse...

Em tempo: mesmo não gostando do Ceará aqui, boa campanha sim. Inclusive por desafiar e calar muita gente que faz uso de seus preconceitos também nos campos. Iuuuu pra vocês!
=P

Franccesco disse...

Concordo plenamente contigo.
Também gostaria que o campeonato fosse mata-mata...
Desconhecia esta do camp. argentino, legal, legal..
Ótimo texto.
Torço mesmo para que o Cruzeiro leve, mas é muito mais dificil, então que o Flu leve...

Cleber Soares disse...

Discussão a parte sobre mata-mata ou pontos corridos, torcida sempre vai ser passional, imprensa sempre sensacionalista e a discussão sempre haverá.... chora os perdedores, comemoram os vitoriosos...

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

Claudio Henrique disse...

Olha Italo. Para ser sincero, eu já estou de saco cheio desse campeonato. Quero mais que acabe logo. Todo ano tem esse negócio de time A entrega para o B, prejudicando o C. Sem contar esse negócio de esquema para um ou para outro. Gosto muito do nosso futebol, mas essas mesmas ladainhas enchem o saco. Isso me faz querer logo o fim da competição. Assim que o campeonato acabar, todas essas histórias morrem de vez.

Abraços!

Luciano Mayeda disse...

Fala Italo

Nosso grande parceiro Cleber Soares definiu bem em um comentário no meu blog sobre esse assunto "O certo e o ético são inerentes a conveniência dos fatos". Se existem "verdades absolutas", essa é uma delas.

Abraço !

http://deolhono-lance.blogspot.com/