quinta-feira, 8 de julho de 2010

duas coisas

 saci-pererê

felipe e robben são dois craques. por que digo isso? porque craque, pra mim, é aquele jogador que desequilibra. é o cara que chama a responsa pra si e decide um jogo. um jogo importante, diga-se. felipe já fez muito isso. no vasco e no flamengo. lá nas arábias, não sei, não fiz questão de acompanhá-lo. agora, de volta ao vasco, pode fazer, pode desequilibrar, sim. ter um time um pouco mais reforçado pode ajudá-lo a se destacar, porque é limitado o time vascaíno, mesmo com ele e com o casalberto (este, por exemplo, pra mim não é craque nem nunca foi. no máximo, bom jogador. não me lembro de ele decidindo nada. pelo contrário). robben, este ano principalmente, foi decisivo para as conquistas do bayerm m. campeão da copa alemã e da liga alemã, e vice da liga dos campeões da europa. e tá ajudando a holanda nessa copa, agora finalista. porém, apesar de craques, são dois jogadores que eu denomino de saci-pererê. por quê? ora, são jogadores de uma perna só. daqueles para quem a perna direita serve só para subir no ônibus, aproveitando-me de um ditado popular. são jogadores, desculpem-me a pretensão, fáceis de serem marcados. eles vão sempre para o mesmo lado! vezemquando variam, ok, mas jamais arrematarão de direita, ou cruzarão. e, caso o façam, pode deixar chutar e cruzar que vai ser um fiasco! isso significa que deixam de ser craques? não. para mim, não, porque ainda assim são - ou souberam ser - decisivos. porém, são jogadores limitados, a meu ver. limitados a uma perna. se com uma só já fazem tudo isso, eu fico imaginando se soubessem jogar com as duas, como sabe - ou sabia, ok - o ronaldo, o fenômeno, e até o romário, em menor proporção. há quem diga, ainda, que melhor um jogador "de uma perna só" do que tantos cabeças-de-bagre que não são bons com nenhuma. claro que sim! mas isso não me faz mudar de ideia: são craques, mas limitados.

há coisas que só...

... acontecem ao botafogo, diz o deitado, tantas vezes utilizado por mim neste blog. agora, acompanhando um pouco essa copa do mundo, acrescendo ao deitado: e ao uruguai. reformulando-o: há coisas que só acontecem ao botafogo. e ao uruguai. porque é impressionante o que acontece em um simples jogo desta seleção! pra mim, é a melhor coisa dessa copa do mundo! dou graças ao uruguai pelos jogos que dele assisti nessa copa. desde o primeiro, um horrorendo jogo contra a frança. e, pasmem, aquele horrorendo time chegou às semifinais e botou pressão na holanda no final do jogo. e vai agora pra disputa de terceiro lugar contra a alemanha. e nos jogos do uruguai, como nos jogos do bota, eu não torço de início, não. eu vou mudando conforme o jogo. por exemplo, contra a holanda, terça, eu torci muito para que o uruguai empatasse depois de estar perdendo por 3x1. e quase conseguiu, bem na obra do acaso, do "bola pro alto e vâmo vê o que dá". bem ao estilo botafogo. botafogo e uruguai subvertem qualquer possível lógica no futebol. como não lembrar do botafogo x santa cruz desse ano, pela copa do brasil? e depois da maravilhosa conquista alvi-negra do carioca, da forma como foi? como não lembrar do que o uruguai fez em 1950, no brasil. como não lembrar do que o uruguai fez com gana nessa copa do mundo? botafogo e uruguai dão brilho ao futebol. a esse futebol de objetividade, de organização, de blá blá blá. botafogo e uruguai vão contra tudo isso. e encantam justamente por isso. pelo inexplicável que os acompanha. e eu escrevo isso, como flamenguista, sem inveja nenhuma. mas com admiração mesmo. com baita admiração. é impossível não torcer e não distorcer, numa mesma partida, para botafogo e uruguai.

ítalo.

Um comentário:

Eduardo Trindade disse...

Muitíssimo interessante o paralelo que fazes entre o Botafogo e "los orientales". E tens toda a razão. Coincidências, superstições? Mas este toque do imponderável é o que dá graça. A frase é batida, mas realmente parece que certas coisas só acontecem ao Botafogo... e ao Uruguai.
Abraços!